De quem é a culpa?

janeiro 30, 2010

A Culpa é o BBB. É to falando serio. Enquanto estamos na frente da TV ou Maquina de fazer doidos, parecendo mais cientistas malucos analisando o comportamento dos ratos na gaiola. As coisas estão bem complicadas aqui do lado de fora.

Não serei estraga prazer, quem gosta, gosta! Como diz o ditado gosto é que nem c… Cada um tem o seu.

Mas estamos perdendo o fio da meada, ficamos sentados assistindo a fulano de tal que irá votar em cicrano, nem sabemos quem votaremos nas próximas eleições.

Essa noite eu assisti a um filme de italiano sobre a ditadura argentina, em alguns momentos do filme parecia um reality. Pessoas trancadas sem esperança de sair daquilo pode parecer loucura essa minha analogia absurda, mas o limite humano é o mesmo quando se está trancafiado, de uma forma ou de outra, com tortura física, ou psicológica. Reagimos ao exílio do mundo, de forma rude e primitiva.

Assim como os presos da ditadura, os nossos “heróis” da TV, como diz o jornalista que apresenta esse programa, também não há esperança de saírem dali, pois ser ex-BBB deve ser duro.

BBB serve apenas pra uma coisa, não minto, nem pra isso ele serve. Ou seja, o tal programa líder de audiência não serve pra absolutamente nada. Tenho pena de uma geração inteira que cresce assistindo, discutindo e vivendo isso.

A culpa agora é do BBB, se o Brasil perder a copa, pode ter certeza que terei o meu culpado.

Woody ou Godard?

janeiro 13, 2010

Essa semana assisti duas obras fantasticas desses diretores. Dai em conversa, no bar, com um amigo ele me pergunta, Woody Allen ou Gordard? Puts! Agora ferrou. Tentei argumentar; É diferente os tipos de cinema, Woddy Allen e Godar, não tem como comparar. Então ele me responde, para com esses papinhos intelectualoide, de cinema. Vamos ao que interessa, se te perguntasse ROCKY ou EXTERMINADOR, tu me respondia na lata, EXTERMINADOR 2.  E isso é verdade.

Bom vamos pensar, O Woddy é classico, elagante um cinema comtemplativo. Já o Godard, disse uma vez que pra ter um filme, basta uma mulher, e uma arma. Gosto disso. Entre Band a part e Manhattan, sou mais o Woody, entre Acossado e Noivo Neurotico…Fico com Acossado. Carakas.

O  meu amigo, diz vai logo responde, naquele momento e com a pressão, repondi. WOODY ALLEN. Viu não doeu nada, simples. Garçom desse mais uma aqui.

Fiquei pensando, claro que é o Woody, o cara é genial. Acho que os melhores filmes que eu vi, as melhores tramas e piadas, foram nos seus filmes. O godard tambem é genial, mas não o quanto o Woody. O garçom chega a mesa com uma cerveja, super gelada. Ainda pensando na minha resposta, refiz a pergunta para o garçom. Ele me olhou, pensei, que idiota que eu fui agora. Então o garçom me surpreende, Godard era um filosofo, um poeta, mas fazia isso com imagens e dialogos, acho ele mais que niguem conseguiu nos revelar sentimentos daquela geração de revoluções, mas eu perticulamente prefiro o Woody Allen, somente porque ele disse: ” A duas coisas importantes na vida, uma é o Sexo a outra, a outra…. Ah me esqueci, tambem não importava muito.”

Saudade…

janeiro 13, 2010

Passou Dezembro e Janeiro está passando… Fevereiro vai dar o ar da graça…

Não vejo a hora!

Férias de faculdade é um saco… A gente não bebe como deveria… Confesso que estou me sentindo mal.

Não vejo a hora de começarem logo as aulas, não vejo à hora de sentar no bar e degustar aquela Brahma GELADA.

Amigos…
Papos furados…
Músicas cantadas…

Saudade.

Tem também aulas, professores, provas e trabalhos… Mas isso é de vez em quando, o que nos motiva é a loirinha fiel, que sempre nos aguarda com todo carinho do mundo.

Este ano é o último. Tem TCC… Tem formatura… E TEEEEM CERVEJAAAAAA!!!

Vamo que vamo!

Saudades…

Estacionando na estação

janeiro 9, 2010

Verão.

Mudei de estação, coloquei na 91,9 (rádio local), levantei e fui andar na praia.

Eu que não tenho esse costume de escutar rádio (nem de andar na praia) me supreendi. Na minha velha playlist do computador me perco em meio de tantas músicas que gosto e conheço, e esqueci do prazer de que o velho aparelinho (no caso não um rádio, mas um celular)  fornece à nós meros “escutadores”.
A estação passou no teste, trazia um sol não muito forte que ajudava na caminhada. A música com um frescor todo novo também passou.
Entre tantas músicas diferentes, desconhecidas (para mim), boas e ruins tive aquela velha sensação de escutar uma que gostamos no meio de tantas outras.
Ela tem outro gosto, outro sabor quando selecionada pela estação. E o verão selecionou ela perfeitamente, na brisa da beira do mar tocava “Com açucar, com afeto” (de Chico Buarque, gravada por Nara Leão) na voz de Fernanda Takai. Tenho que reconhecer que a versão que tenho aqui no velho pc não chega aos pés da versão da estação que escutei, apesar de serem idênticas.
Acho que é culpa da estação né? Conseguiu perceber o momento e coloca-la na hora certa nas ondas do rádio perto das ondas do mar…ou não, talvez foi por causa do verão que trouxe a praia de volta.

Gostei disso, acho que vou estacionar um tempo nessa estação, escutar um pouco mais de rádio caminhando na praia, esperendo aquela músicar tocar.
E quando cansar eu mudo de estação, o inverno de vez em quando também é bom.

Pô Nietzsche num me F…

janeiro 9, 2010

E o velho Zaratustra disse que Deus morreu. E agora?

Eu, metido a besta, inventei de ler ASSIM FALOU ZARATUSTRA, do alemão Nietzsche. Claro, não estou conseguindo avançar muito na leitura, não estou conseguindo por puro preconceito, recalque e muita. Muita falta de cultura e discernimento da minha parte.

Lembro que quando li O MUNDO DE SOFIA, fiquei encantado com as idéias de Spinoza, filósofo Holandês. Lembro que Spinoza dizia: “O mundo é em Deus”, ou seja, para Spinoza Deus está em tudo, tudo mesmo. Tudo que é finito ou infinito é Deus. Lembro que gostei dessas idéias, gosto de pensar assim. Porém, o alemão está me enchendo o saco com esse papo que Deus morreu!

Como Zara? Que papo é esse bicho?

Sai pra lá ô!

Deus ta aqui, ali, em todo o lugar.

Zaratustra fala do super-homem, que ele ama o homem… Mas Deus morreu.

Ainda é cedo para eu terminar esta leitura, ainda não sei suficiente, tenho medo de me embalar aos conceitos do Alemão.

Vou ficar aqui batendo papo com o Holandês mesmo, aqui, ali em todo o lugar. É melhor assim.

Sai pra lá Nietzsche, deixe a gente em paz.

Pode continuar Spinoza estou te ouvindo….