Loucura?!

março 31, 2010

Taxi Driver.
Os Bons Companheiros.
O Rei da Comédia.
Cabo do Medo.
Cassino.
Gangue de NY.
O Aviador.
Bob Dylan – No Direction Home.
The Rolling Stones Shine a Light.

Qual o seu louco preferido?
*Fico entre Travis Bickle (Taxi Driver) e Bob Dylan.

E segue mais um para coleção:

Anúncios

O Segredo.

março 20, 2010

O segredo não é o futebol, nem as chuteiras ou muito menos a água que eles (ou nós?) tomam.
O segredo não é a raquete, nem a quadra, nem o tênnis.
Não é o copo, não é o vinho, nem a taça.
Não é o recheio nem a cobertura.
Não é a bola nem a cesta.

O segredo são os olhos.
Eles enxergam diferente.
O que resta, para nós, é assistir…ver.

Vida e Morte Berro D’água

fevereiro 25, 2010

Confesso não li a obra do Jorge Amado, mas hoje logo pela manhã quando comia meu misto com o café expresso me deparei com um link e quis conferir.

Fiquei impressionado! Além de estar louco para ver o filme, quero ler a obra. Quero imaginar aquele personagens, antes de velos com carne e osso, quero poder entender as falas antes de serem ditas. E seré a que morte de pode ser mais divertida que a vida?

vai a dica:

Quando deixamos?

fevereiro 19, 2010

Quando deixamos de lado nossos bonecos, nossos jogos e brincadeiras?
Quando percebemos que hoje será a última vez que escolheremos entre o soldado ou o ninja?
Quando percebemos que a realidade que vivíamos era uma fantasia e que atual realidade pode ser mais fantasiosa que a anterior?
Que agora sim podemos optar entre ser vilão ou herói, polícia ou bandido.
Que não somos detetives, guerreiros ou super-homens, mas que agora sim podemos escolher qual deles seremos.
Que nosso forte antes de plástico, agora é feito de tijolos.
Nossas mocinhas agora são de carne e osso.
Que morremos.
Que sangramos.
Que choramos.
Quando trocamos guerras de lama por batalhas de fogo?
Trocamos balas por pratas, chinelos por sapatos, regatas por gravatas?
Quando deixamos nossos brinquedos, nossos “pequenos amigos”, nossas bolinhas de gude, nossos monstros no fundo do armário, lá em uma ilha distante?
Quando deixamos a infância, esperando sempre continuar com a criança?

Fica a dica:

Cansei da jornada do herói!

fevereiro 9, 2010

To um pouco cansado da jornada do herói, sabe aquele começo, meio e fim. Nascimento, vida e morte. Não sei se todos perceberam, mas o cinema é assim. O filme começa, com alguma pessoa comum tendo seu dia alterado, sendo convocado para uma jornada. Com o Frodo é assim, Bond, Ringo, Walle, Jack, Peter Parker, Avatar e etc.

Será que não tem jeito de fazer filme diferente? Será que tem de sempre ser esse velho ponto de virada? TÁ TÁ eu seiisso é DRAMATURGIA, que o Aristoteles escreveu, mas ja faz tempo neh?

Será que tudo ja foi invetando, a roda, o fogo os deuses e só?

Discordo que todas as historias foram contadas, isso é um desrespeito com os roteiristas, mas pra te falar a verdade tá faltando roteirista. Vejo um filme GRANDIOSSO, ESTUPENDO, QUE BATE TODOS OS RECORDES. E digo, CARALHO ANIMAL, mas já vi essa historia em alguns filmes.

Historias de amor, policial, terror, ação, experimental, cientificas, documentario, animação, noir, tarantinesca, Hitcokriana, Chapliriana e etc, etc, etc. Tem de ser sempre aquele começo, meio e fim basicos? Porque não sejamos mais ousados, porque não criamos movimentos.

Isso um movimento, ” Anti Jornada do Heroi” Sem o bom e velho clichê. Tambem não podemos viajar muito, o publico tem que enterder, façamos historias comuns de pessoas comuns, dentro de lugares comuns (bares)

Falando nisso em Breve, teremos uma surpresa pra vocês aqui no DOSE, algo audiovisual.

ABRAÇOS!

Woody ou Godard?

janeiro 13, 2010

Essa semana assisti duas obras fantasticas desses diretores. Dai em conversa, no bar, com um amigo ele me pergunta, Woody Allen ou Gordard? Puts! Agora ferrou. Tentei argumentar; É diferente os tipos de cinema, Woddy Allen e Godar, não tem como comparar. Então ele me responde, para com esses papinhos intelectualoide, de cinema. Vamos ao que interessa, se te perguntasse ROCKY ou EXTERMINADOR, tu me respondia na lata, EXTERMINADOR 2.  E isso é verdade.

Bom vamos pensar, O Woddy é classico, elagante um cinema comtemplativo. Já o Godard, disse uma vez que pra ter um filme, basta uma mulher, e uma arma. Gosto disso. Entre Band a part e Manhattan, sou mais o Woody, entre Acossado e Noivo Neurotico…Fico com Acossado. Carakas.

O  meu amigo, diz vai logo responde, naquele momento e com a pressão, repondi. WOODY ALLEN. Viu não doeu nada, simples. Garçom desse mais uma aqui.

Fiquei pensando, claro que é o Woody, o cara é genial. Acho que os melhores filmes que eu vi, as melhores tramas e piadas, foram nos seus filmes. O godard tambem é genial, mas não o quanto o Woody. O garçom chega a mesa com uma cerveja, super gelada. Ainda pensando na minha resposta, refiz a pergunta para o garçom. Ele me olhou, pensei, que idiota que eu fui agora. Então o garçom me surpreende, Godard era um filosofo, um poeta, mas fazia isso com imagens e dialogos, acho ele mais que niguem conseguiu nos revelar sentimentos daquela geração de revoluções, mas eu perticulamente prefiro o Woody Allen, somente porque ele disse: ” A duas coisas importantes na vida, uma é o Sexo a outra, a outra…. Ah me esqueci, tambem não importava muito.”

Quanto mais Fellini melhor!

dezembro 28, 2009

Acho que os Deuses atenderam as minhas preces. Há algum tempo coloquei um post perguntando, Onde estão os Deuses do cinema? Hoje aqui na internet achei o trailer do fime “NINE”, uma reeleitura do Classico “8 E MEIO”, do italiano Frederico Fellini.

No classico acompanhamos a historia de um cineasta que perdeu a criatividade, em uma das mais belas sequencias do cinema, o protagonista veste uma lençol, e com um chicote as mãos, corre atras das mulheres de sua vida.

NINE o filme será uma versão musical, com direção de Rob Marshal, “Chicago”. Espero que mantenham as sequencias longas, com as pausas reflexivas dos filmes de Felinni e não seja aquele filme de dedo nervoso do montador, com tantos cortes que nem sabemos o que está acontecendo.

Não deixem de assistir o 8 e meio, antes de ver o Nine.