Sobre Legionários

março 28, 2010

“Vamos deixar as janelas abertas
E deixar o equilíbrio ir embora
Cair como um saxofone na calçada
Amarrar um fio de cobre no pescoço
Acender o intervalo pelo filtro
Usar um extintor como lençol
Jogar pólo-aquático na cama
Ficar deslizando pelo teto

Da nossa casa cega e medieval
Cantar canções em línguas estranhas
Retalhar as cortinas desarmadas
Com a faca surda que a fé sujou
Desarmar os brinquedos indecentes
E a indecência pura dos retratos no salão
Vamos beber livros e mastigar tapetes
Catar pontas de cigarros nas paredes

Abrir a geladeira e deixar o vento sair
Cuspir um dia qualquer no futuro
De quem já desapareceu
Deus, Deus, somos todos ateus
Vamos cortar os cabelos do príncipe
E entregá-los a um deus plebeu

E depois do começo
O que vier vai começar a ser o fim [3x]

E depois do começo
O que vier vai começar a ser”

“Os Bons morrem cedo”

Anúncios

Dissecando Hermes

fevereiro 23, 2010

Adoro letra de música.
É incrível a habilidade de certas(os) pessoas de musicar o cotidiano, do fantasioso até a realidade.
Mas tem um, que ganha de todos.
Não por ser melhor, mas por conseguir musicar o inmusicavel(?).
Tente rimar Shah-Jehan com Mumtaz Mahal e inserir uns “Têtêretês” no meio disso tudo.
Tente falar do homem da gravata colorida, do urubu que toca flauta, do homem avestrús, da mulher do homem que come raio-laser.
Arranje uma frase pra usar Spyro Gyra é spyro gyro.

Difícil?
Que nada, isso ele tira de letra!
Agora vem a obra-prima. Acompanhem comigo a versão musical de uma parte da Mitologia. Isso mesmo M-I-T-O-L-O-G-I-A.

Hermes que era Thoth que era Mercúrio que era Três Vezes Poderoso e por isso Trismegisto.

“Hermes Trismegisto escreveu
O que está embaixo é como o que está no alto,
e o que está no alto é como o que está embaixo.
E por essas coisas fazem-se os milagres de uma coisa só.
E como todas essas coisas são e provêm de um
pela mediação do um,
assim todas as coisas são nascidas desta única coisa por adaptação.”

Simples não? Uma explicação mais do que óbvia sobre os escritos de Hermes.
Ahhh…o nome do albúm é “A Tábua de Esmeralda” (onde foi escrito as palavras do Trismegisto).
Acredito que poucos conseguem ir tão longe quanto Jorge Ben, talvez só alguém um pouco mais “Racional”.

Então fica aqui os dois juntos, estacione sua asa-delta e boa semana!

Tá! Sobre heróis e os 30….

Janis Joplin.
Jim Morrison.
James Dean.
Jimi Hendrix.
Kurt Cobain.

Esses são alguns exemplos de feras que morreram antes dos 30 anos. Claro, faltam alguns ainda. Esses são exemplos rápidos que veio a cabeça.

Morreram antes dos 30.

Eu já passei dessa fase…

Eles eram famosos… Eu ainda não! AINDA.

O bom é que serei famoso depois dos 30. A lista de quem morreu depois dos 30 nas mesmas condições dos mais jovens é um pouco menor.

Nós, mais experientes, não abusamos tanto (ou nada) das drogas, do álcool e da velocidade…

É tão bom ter experiência. Dar fama a gente nova dá nisso aí.

Por isso que não quis ser famoso muito jovem… Agora depois dos 30 é melhor..

Que venha a fama. ( e o inverno também).

Estacionando na estação

janeiro 9, 2010

Verão.

Mudei de estação, coloquei na 91,9 (rádio local), levantei e fui andar na praia.

Eu que não tenho esse costume de escutar rádio (nem de andar na praia) me supreendi. Na minha velha playlist do computador me perco em meio de tantas músicas que gosto e conheço, e esqueci do prazer de que o velho aparelinho (no caso não um rádio, mas um celular)  fornece à nós meros “escutadores”.
A estação passou no teste, trazia um sol não muito forte que ajudava na caminhada. A música com um frescor todo novo também passou.
Entre tantas músicas diferentes, desconhecidas (para mim), boas e ruins tive aquela velha sensação de escutar uma que gostamos no meio de tantas outras.
Ela tem outro gosto, outro sabor quando selecionada pela estação. E o verão selecionou ela perfeitamente, na brisa da beira do mar tocava “Com açucar, com afeto” (de Chico Buarque, gravada por Nara Leão) na voz de Fernanda Takai. Tenho que reconhecer que a versão que tenho aqui no velho pc não chega aos pés da versão da estação que escutei, apesar de serem idênticas.
Acho que é culpa da estação né? Conseguiu perceber o momento e coloca-la na hora certa nas ondas do rádio perto das ondas do mar…ou não, talvez foi por causa do verão que trouxe a praia de volta.

Gostei disso, acho que vou estacionar um tempo nessa estação, escutar um pouco mais de rádio caminhando na praia, esperendo aquela músicar tocar.
E quando cansar eu mudo de estação, o inverno de vez em quando também é bom.

Miedo

dezembro 17, 2009

O medo é sensacional.
Tão dificil quanto fazer rir ou chorar é causar medo.
É praticamente uma arte.
E na arte o medo é melhor ainda, o simples fato de transmitir esse sentimento apenas com imagens e sons, ou melhor, pela simples ausência desses, é definitivamente um dom.
Um exemplo?
Assistam “Atividade Paranormal” e vocês irão entender do que estou falando.
Simples, direto e cá estou eu durmindo de luz acessa. rsrs…

E para você, o que é o medo?

Fica aqui algumas dicas do Lenine:

“O medo é uma linha que separa o mundo
O medo é uma casa aonde ninguém vai
O medo é como um laço que se aperta em nós
O medo é uma força que não me deixa andar

O medo é uma sombra que o temor não desvia
O medo é uma armadilha que pegou o amor
O medo é uma chave que apagou a vida
O medo é uma brecha que fez crescer a dor

O medo estampado na cara ou escondido no porão
O medo circulando nas veias ou em rota de colisão
O medo é de Deus ou do demo? É ordem ou é confusão?
O medo é medonho
O medo domina
O medo é a medida da indecisão”

Remasterizado.

outubro 4, 2009

Ontem ouvi SGT PEPPERS remasterizado. Até quando esses caras vão nos surpreender?

Até quando os Beatles, mesmo quase 40 anos após o término, deixarão de ser originais? A genialidade dos rapazes de liverpool é inquestionável.

Ouvindo ontem o SGT PEPPERS, remasterizado, ouvi coisas nunca ouvidas antes. Que bateria era aquela? O que Paul fazia com aquele baixo?

Que som é aquele? Gravado em 1967 este disco é tão atual como essas coisas de hoje em dia, mas claro, infinitamente melhor. Melhor que qualquer coisa que ainda vai surgir.

Quem de hoje, daqui a 40 anos, vai mostrar algo novo? Algo inesperado?

Acredito que ninguém.

To ainda abismado, o som totalmente novo. São músicas completamente inéditas.

Vale a pena, pra quem conhece e pra quem não conhece.